VIDA EM MARTE?



Desde a década de 60, o homem, através de missões espaciais, vem tentando desvendar os mistérios que vão além do planeta azul.



O primeiro passo importante foi a conquista da Lua em 20 de julho de 1969, quando o famoso astronauta americano Neil Armostrong pisou no satélite terrestre e pronunciou uma das frases mais famosas do século XX: “Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade”. A partir do mesmo ano, o homem deu a largada para conquista do planeta Marte.
Sucessivas tentativas foram realizadas ao longo dos anos, porém o que se conseguiu nesse período foi apenas penetrar na órbita do planeta vermelho. Até que, no ano de 2004, pela primeira vez, as sondas Spirit e Oportunity, lançadas juntas pela NASA, conseguiram tocar o solo marciano com sucesso e em condições de realizar a missão de enviar imagens, coletar amostras e, quem sabe, dar a notícia que todos esperam: a de que há vida fora da Terra. Por último, em agosto de 2012, o robô Curiosity passou a integrar a missão, 
substituindo a sonda Spirit que parou de funcionar em 2010.

Imagem da Superfície do Planeta Marte, disponível em:http://www.nasa.gov 
Mesmo com os avanços tecnológicos nas últimas décadas e com a dedicação de abnegados cientistas de várias partes do mundo, as missões em Marte não trouxeram ainda grandes revelações. Tudo o que foi desvendado até o momento resume-se na existência de um lago congelado e na presença de fósseis de possíveis bactérias pertencentes a um passado remoto. Marte ainda é considerado, aos olhos dos seres humanos, um planeta inóspito, que exala gases tóxicos, arenoso, gelado e inabitado.
Certamente, diante dessas considerações, o caro leitor está se perguntando sobre o que a NASA deve encontrar por lá e se é mesmo possível a existência de alguma forma de vida em Marte. Todos esses fatos, evidentemente, despertam curiosidades, dividem opiniões e nos convidam a uma breve reflexão, partindo do ponto de vista espírita.
Devemos salientar, antes de mais nada, que Jesus Cristo já anunciava em sua passagem pela Terra, que o homem não está sozinho no universo. Prova disso são os registros nas escrituras sagradas contidos em Jo14: 1-a 3: “Há muitas moradas na casa de meu pai”.
Analisando essa afirmativa, a casa de Deus seria a imensidão intraduzível do universo. Os variados planetas distribuídos em incontáveis sistemas correspondem às diversas moradas referidas pelo Nazareno, o que mais tarde foi esmiuçado pelos Espíritos Superiores através de “O livros dos espíritos”, Capítulo III, Da Criação - Pluralidade dos Mundos:

55. São habitados todos os globos que se movem no espaço?

“Sim e o homem terreno está longe de ser, como supõe o primeiro em inteligência, em bondade e em perfeição. Entretanto, há homens que se têm por espíritos muito fortes e que imaginam pertencer a este pequenino globo o privilégio de conter seres racionais. Orgulho e vaidade! Julgam que só para eles criou Deus o Universo.”

De fato, seria muita pretensão pensar que na infinidade do Universo, o planeta Terra, dentre os inumeráveis planetas, seria o único mundo habitado. Mais do que pretensão, seria duvidar da grandeza e da perfeição do Criador, pois toda a sua criatura desempenha um papel preponderante no universo, o que exclui totalmente a ideia de inércia ou inatividade de qualquer que seja a sua criação.
Mas se todos os globos são habitados como afirma a espiritualidade através da codificação, por que até agora não foi comprovada a existência de vida em Marte?
A grande questão é que ao longo dos anos a sociedade veio construindo uma ideia errônea de possíveis seres extraterrenos. Os filmes de ficção idealizaram criaturas, geralmente más, com corpos físicos densos assemelhando-se aos corpos humanos. Cabeça grande, corpo franzino, olhos compridos, membros alongados. Essa é a imagem que vem na mente da maioria das pessoas quando tratam do assunto.
Mas a resposta a este questionamento também se encontra no mesmo Capítulo de “O Livro dos Espíritos:”

56. É a mesma a constituição física dos diferentes globos?

“Não; de modo algum se assemelham.”             

57. Não sendo uma só para todos a constituição física dos mundos, seguir-se-á tenham organizações diferentes os seres que os habitam?

“Sem dúvida, do mesmo modo que no vosso os peixes são feitos para viver na água e os pássaros no ar.”

Indiscutivelmente, a composição dos corpos desses seres, não se parece com a composição de nossa matéria, uma vez que as condições físicas, químicas e climáticas dos variados planetas são diferentes da Terra. Continuemos com o exemplo dos peixes que tem sua organização física projetada para viver nas águas. Percebemos que esta espécie não é capaz de viver mais do que alguns minutos fora do ambiente que lhe é propício, assim como não somos capazes de viver dentro da água, deste modo, o homem dificilmente encontrará um marciano com características físicas semelhantes à de um terráqueo.
Emmanuel (guia espiritual de Chico Xavier) confirma esta tese no livro que intitula seu nome: 

Há mundos incontáveis e muitos deles formados de fluidos rarefeitos, inatingidos, na atualidade, pelos vossos instrumentos de ótica”.

Outro ponto fundamental e talvez o mais importante a se considerar é que na medida em que o espírito evolui, a vestimenta física se torna mais etérea, ou seja, quanto mais adiantado o corpo espiritual, menos densa é a matéria em que ele habita transitoriamente, sobrepondo-se as faculdades do espírito a matéria.
Nas psicografias Xavierianas, encontramos alguns relatos de espíritos que apontam o planeta Marte como um planeta que está muito a frente da Terra evolutivamente. No ano de 1935 o espírito de Maria João de Deus (mãe de Chico Xavier) na obra “Cartas de uma Morta” descreve algumas características do planeta vermelho:

“Todavia, o que mais me admirou não foram as expressões físicas deste planeta, tão adiantado em comparação com o vosso. Nele a sociedade está constituída de tal forma, que as guerras ou os flagelos seriam fenômenos jamais previstos ou suspeitados. A vibração de paz e de harmonia que ali se experimenta irradia aos corações felicidades nunca sonhadas na Terra. A mais profunda espiritualidade caracteriza essa humanidade, rica de amor fraterno e respeito ao Criador”.

O espírito de Humberto de Campos, no livro “Novas Mensagens”, publicado em 1939, também se refere a Marte como sendo um dos planetas mais adiantados dentro do sistema solar:

“Tive, então, o ensejo de contemplar os habitantes do nosso vizinho, cuja organização física difere um tanto do arcabouço típico com que realizamos as nossas experiências terrestres. Notei, igualmente, que os homens de Marte não apresentam as expressões psicológicas da inquietação em que se mergulham os nossos irmãos das grandes metrópoles terrenas. Uma aura de profunda tranquilidade os envolve. É que, esclareceu o mentor que nos acompanhava, os marcianos já solucionaram os problemas do meio e já passaram pelas experimentações da vida animal, em suas fases mais grosseiras. Não conhecem os fenômenos da guerra e qualquer flagelo social seria, entre eles, um acontecimento inacreditável”.

Podemos concluir que, sendo Marte um planeta mais adiantado que a Terra, seus habitantes também o são, bem à frente em capacidade moral e intelectual. O que nos leva a confirmar a afirmação de Emmanuel, o qual refere que a densidade de seus corpos não pode ser ainda constatada pelos olhos grosseiros do homem, como acontece no caso dos homens encarnados, que não são dotados de faculdade mediúnica e não conseguem enxergar o plano espiritual por estar em outra vibração, explicando assim, a ausência da comprovação de vida em Marte até agora.


Felizmente, a Providência Divina em sua infinita sabedoria e bondade, não permitiria a uma sociedade pouco desenvolvida e que passa por um processo evolutivo ainda doloroso, caracterizado por conflitos e mazelas, reflexo das ações de seu próprio povo, atrapalhar a evolução de um planeta adiantado intelectual e moralmente. Para o ser humano, por enquanto, fica apenas a certeza anunciada por William Shakespeare: 

“Há mais mistérios entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia”.



Referências

  •  O livro dos Espíritos – Allan Kardec
  •  Cartas de uma Morta – Chico Xavier pelo espírito Maria João de Deus
  •  Emmanuel – Chico Xavier pelo espírito Emmanuel
  •  Novas Mensagens – Chico Xavier pelo espírito Humberto de Campos