ANJOS DA GUARDA

Anjo da Guarda

Afinal, eles existem?


Quando falamos em anjos, logo imaginamos uma figura jovial, de beleza singular, dotada de um par de asas e uma auréola reluzente sobre a cabeça.  Esta é a imagem que temos dos seres angelicais que são representados em estatuetas e pinturas, desde a época do renascimento.
A palavra anjo, deriva do latim ângelus e do grego ángelos  (ἄγγελος) e que dizer mensageiro. A tradição cristã ensina portanto, que os anjos são espíritos mensageiros, prepostos de Deus e a eles são confiadas as mais honrosas missões. As anotações bíblicas registram algumas passagens protagonizadas por estas criaturas, já no antigo testamento.

"Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei". (Êxodo 23, 20)

Estes seres são referenciados pela maioria das religiões, com variação de nomes e classificações. Mas independente da crença, se tornaram figuras populares e vinculam de alguma forma, o homem a Deus.
Os anjos teriam, dentre outras funções, a de proteger os homens. Há quem diga que eles são capazes de nos livrar de certas situações de perigo e nos acompanham nos momentos difíceis. Os anjos protetores são classificados pela crença popular como anjos da guarda. E aqui chegamos à questão em discussão. O que são os anjos da guarda segundo o espiritismo?

Definições Espíritas

Anjos - Para a Doutrina espírita, os anjos são espíritos que atingiram um adiantado grau de evolução, desta forma são espíritos puros ou perfeitos. A diferença da definição espírita para outras religiões é que estes espíritos não são seres santificados ou inatingíveis. Como todos nós fomos criados simples e ignorantes, temos a mesma oportunidade de evoluir e atingir a perfeição, logo seremos "anjos" quando chegarmos ao topo do desenvolvimento moral e intelectual.

Anjos da Guarda -  Os anjos protetores diferem dos anjos propriamente ditos. Estes são espíritos em diferentes graus de evolução, que recebem a missão de acompanhar o homem e ajudá-lo a progredir durante sua reencarnação e até mesmo após o desencarne. O espírito protetor é sempre de natureza superior a de seu protegido, entretanto não são espíritos perfeitos. Eles recebem a missão no plano espiritual e podem escolher a que espírito reencarnante proteger, de acordo com a sua afinidade. Não raro, nossos protetores são espíritos que conviveram conosco em outras existências.

Que influência os espíritos protetores exercem em nossa vida?

É importante salientar que apesar de nos protegerem, os espíritos guardiões não determinam o rumo de nossas vidas, pois a cada um é dado o direito de escolha, o livre-arbítrio. A função destes espíritos é a de nos inspirar com boas ideias, fortalecer-nos diante das dificuldades, não nos deixar esmorecer frente aos obstáculos, nos guiar na senda do bem. Todavia, o resultado final da influência de qualquer espírito em nossa vida, está subordinado diretamente às nossas vontades, seja de maneira positiva ou negativa.

[...] Cada anjo da guarda tem o seu protegido e vela por ele como um pai vela pelo filho.  Sente-se feliz quando o vê no bom caminho; chora quando os seus conselhos são desprezados.

(São Luis e Santo Agostinho - O Livro dos Espíritos)

O espírito protetor pode nos abandonar?

Nunca seremos desamparados pela espiritualidade, mas para que a proteção seja efetiva devemos estreitar os laços de relação com os nossos protetores através dos nossos pensamentos e ações, os quais são determinantes para definir a nossa companhia espiritual.
O espírito guardião não nos abandona, mas pode se afastar quando nossas atitudes são opostas aos seus conselhos. Muitas vezes, somos tão teimosos que acabamos dificultando a ajuda oriunda do plano espiritual.
Caso o protetor espiritual necessite desempenhar outra missão ou até mesmo reencarnar, outro espírito o substituirá na tarefa de nos proteger.

Como ouvir o espírito protetor?

Não é necessário ser dotado de faculdade mediúnica apurada para se comunicar com o espírito protetor. Qualquer pessoa é capaz de ouvi-lo, basta elevar o pensamento através de uma oração sincera. Sempre que nos colocamos em sintonia com o plano espiritual através da concentração mental e da oração, obteremos respostas para o que procuramos. Pode ser que não ouviremos vozes ou vejamos espíritos, mas eles sempre nos falam através da consciência, da intuição e das boas ideias.
Se queres portanto, estabelecer uma comunicação direta com teu protetor, cultive os bons pensamentos, mantenha atitudes idôneas e habitue-se a oração. Desta maneira, serás assistido efetivamente pela espiritualidade.


REFERÊNCIAS


KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo: com explicações das máximas morais do Cristo em concordância com o espiritismo e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida. 131. ed. 1. imp. (Edição Histórica) – Brasília: FEB, 2013.

KARDEC, Allan - O Livro dos Espíritos - FEB, Rio de Janeiro, 1994.